sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Quando Ela me disse Eu te amo.


Eu estava sozinha no quarto. A televisão passava algum programa que eu nem me recordo, ela só estava ligada por estar. Meu pensamento ia longe, os planos que fracassaram, outros que deram certo, os amigos que eu não tinha e os amados que eu afastava por está mergulhada na solidão e amargura. Tudo isso passava pela minha cabeça e Evelyn brincava no quarto, Evelyn pulava, Evelyn quebrava, Evelyn me chamava. Mas eu não estava lá , não conseguia vê-la estava perdida nos meus próprios sentimentos. Foi quando Evelyn me abraçou tão apertado e me disse: TE AMO! Foi o Te amo mais lindo da minha vida, foi encorajador, despertador. Eu também a amava embora ultimante não mais a enxergava. Eu também amo você meu amor, eu disse a ela. Levantei da cama e fui viver, fiquei feliz o dia todo. Não posso dizer que nunca mais fiquei triste até porque é humano, mas sempre lembro dela, de quanto precisa de nós , do quanto me ama e do quanto eu a amo e tenho que demonstrar porque não há ninguém que mais precise de amor do que ela. Não deve ser nada fácil crescer sem a mãe. Mas eu estarei aqui pra ela pro que ela precisar, nunca vou suprir essa falta de mãe, ninguém conseguirá, mas não vou ausentar a quem ela sempre teve, eu sempre estive com ela desde o nascimento, eu cuidei, vi crescer no peito, acordei de madrugada, cantei pra ela dormir, brinquei, briguei, troquei fralda, poucas as vezes mas troquei. Deixei de sair pra ficar com ela, sai depois que ela dormiu, amei e fui amiga e não posso apagar isso e ninguém pode apagar esse laço construído e conquistado, nem mesmo eu com minha tristeza tenho esse direito.